A VIDA COMO ELA É (Artigo da escritora Eliana Barbosa*)


Por Eliana Barbosa *

Tempos difíceis estes... Vivemos em permanente suspense, com medo da violência, medo das dificuldades financeiras, medo da crise econômica, com medos e mais medos... Porém, coragem não é a ausência de medo e sim, decidir fazer o que precisa ser feito, mesmo com medo, é ter atitude! Coragem é escolher agir, ao invés de se esconder e esperar.

Atualmente, em especial nos grandes centros habitacionais, o medo da violência está se alastrando de forma assustadora, em que um número cada vez maior de pessoas se recusa a sair de casa pelo medo dos assaltos e seqüestros. São pessoas que estão em verdadeiro pânico em relação à vida moderna e, neste caso, precisam buscar apoio médico e psicológico para superarem esta fase aparentemente intransponível, em que vão aprender a lidar com os seus medos e a encontrar dentro de si mesmas a confiança e a segurança que tanto almejam.

A verdade é que se não podemos controlar diretamente a violência, precisamos viver a vida como ela é, adaptar-nos ao medo da violência (medo até certo ponto necessário), nos cuidarmos ao máximo e enfrentarmos as dificuldades, porque o mundo não vai mudar se cada um de nós não mudar primeiro. Não adianta ficar aí parado, comentando as agressões que estão acontecendo, apavorando os que o cercam sobre os perigos da vida. O que você pode fazer começa dentro da sua casa, na forma de controle da própria agressividade, das palavras negativas que pronuncia, do estresse e agitação que você permite que tomem conta de seus dias. Mude primeiro a maneira de se tratar, tenha mais paciência com você mesmo e, a partir daí, o seu tratamento com a família e a sociedade em geral vai se transformar positivamente, porque, como sempre digo, toda mudança começa de dentro para fora.

Quanto à violência que impera no mundo, tome todas as precauções necessárias e coloque mais fé em sua vida. É preciso ter muito cuidado com as suas reações diante da violência e para isso, procure estar sempre sintonizado com a grande Força Superior que guarda e guia a todos. Ore sempre pela sua segurança e pela segurança de todos, e mais, assim como aprendi com a minha amorosa avó paterna – Vovó Myrthes - ore pelos “anjos de guarda” dos criminosos (sim, eles os têm), para que consigam influenciá-los para o bem e para a reforma íntima. Não dá para se isolar da vida... é preciso viver a vida como ela é, mesmo que com medos, porque como já dizia o grande autor do romance “O Doutor Jivago”, o russo Boris Pasternak, “Você nasceu para viver e não para se preparar para viver”. Tenha sempre em mente que violência gera mais violência e faça o que estiver ao seu alcance, de modo pacífico, para que este nosso mundo possa se transformar em um lugar prazeroso de se viver.

E cuidado para não ficar paranóico com a violência, vendo agressividade em todos que cruzam o seu caminho, assim como aconteceu nesta história: um rapaz estava dirigindo o seu automóvel, bem tranqüilo, quando, ao dobrar uma esquina, deu de cara com uma mulher que dirigia pela contramão, com o carro em zig-zag, cantando pneus. Apavorado, ele usou toda a sua perícia para evitar um acidente. Entretanto, ao estarem lado a lado, a mulher pôs a cabeça pela janela e gritou: - Porco!!! Imediatamente, o rapaz, indignado, virou-se para trás e respondeu com um xingamento impronunciável... Depois, voltou-se para a frente e... atropelou o... porco!!!

(*) Eliana Barbosa é consultora em Desenvolvimento Humano, escritora, palestrante, psicoterapeuta holística, produtora e apresentadora de TV e Rádio. Seu site: www.elianabarbosa.com.br / Seu e-mail: elianaconsultora@terra.com.br / Telefone para contato: 11-9 9684-0463

Nenhum comentário:

Postar um comentário