O SAL E A PRESSÃO ALTA (HIPERTENSÃO)

O que é o sal de cozinha?
O sal é um mineral composto por dois elementos principais: o sódio e o cloro, que se juntam formando o cloreto de sódio (NaCl). Cinco por cento do sal extraído do mar são utilizados para consumo humano. O restante vai para a indústria, servindo para fabricar papel, tecidos, cosméticos, tinturas, detergentes, remédios, etc. O sal é necessário para manter a vida.

O sódio tem funções nobres no organismo:

• Controlar o equilíbrio da água

• Contribuir para transmitir os impulsos nervosos do cérebro para todo o corpo

• Permitir a contração muscular

• Participar da regulação do ritmo do coração.

Como o sódio provoca pressão alta ou hipertensão?

A ingestão excessiva de sal faz aumentar a quantidade de sódio no sangue. Mas o equilíbrio entre sódio e água no organismo tem que ser perfeito. Existindo mais sódio precisa haver mais água. Com a concentração do sódio aumentando no sangue, complicados mecanismos hormonais entram em ação para equilibrar as águas corporais. Se este equilíbrio não ocorrer, o organismo vai ter que tirar água de dentro das células, provocando desidratação e risco de morte. Só que este aumento do volume de sangue por causa do aumento da quantidade de água (para diluir o sódio) faz aumentar a pressão dentro das artérias. E lá vai a pressão arterial para as nuvens!

Por exemplo, vamos fazer uma analogia com as águas do rio: Quando as águas da chuva são intensas, os rios não conseguem conter a pressão destas águas em suas margens e ocorrem as inundações. Mas as artérias e veias não podem deixar o sangue sair e inundar o nosso corpo. Então, a quantidade aumentada de líquidos fica presa e aumenta a pressão dentro das artérias, provocando a hipertensão arterial. Assim como a pressão aumentada das águas do rio vai destruindo suas margens, a pressão alta dentro das artérias vai machucando, raspando suas paredes, que podem se romper (derrame) ou entupir (infarto).

Nós não nos lembramos do gosto, mas o leite materno tem somente um pouquinho de sal. Porque a natureza sabe que o sódio é indispensável até para o bebê, mas sem excessos. Devemos nos lembrar que o gosto pelo sal é adquirido na infância e o bebê será um adulto com pressão alta dependendo modo como ele aprender quanto a quantidade de sal que satisfaz o seu paladar. Portanto, o gosto adquirido pelo sal vai depender do nosso cuidado com relação a quantidade de sódio ( o sal ) que as crianças ingerem na primeira infância.

A Organização Mundial da Saúde determina que a quantidade máxima de sal que cada adulto deve comer por dia é igual a cinco gramas. Cinco gramas de sal correspondem a aproximadamente 2,5 gramas de sódio. Uma colher de sopa contem ± 15 gramas. Cinco gramas estão contidos em uma colher de chá apenas.

No Brasil cada pessoa ingere em torno de 10 gramas de sal por dia, o dobro da quantidade recomendada. E se tem o hábito de comer sanduíches, batata frita salgadinhos e comida industrializada, pode chegar a 20 gramas por dia, ou mais.

Dez gramas de sal obrigam o organismo a reter 1 litro de água, todos os dias! O que aumenta o volume de sangue circulante, e que obriga o coração a trabalhar com mais força e aí aumenta a pressão arterial.

Assim como nós, humanos, temos sal em nosso organismo, todos os outros seres vivos também têm. A carne de vaca é naturalmente salgada, assim como a das aves e peixes. Por incrível que pareça, os vegetais também contêm sal, ainda que em menor quantidade.

Estes alimentos naturais começam a se complicar quando são industrializados. Um único sanduíche pode ter 80% de todo o sal que você pode ingerir por dia.

Existem duas atitudes que podemos começar a tomar a partir de agora:

1. Eliminar o uso do saleiro à mesa.

2. Habituar-se a ler as informações nutricionais dos produtos que compramos nos supermercados.

Assim como os maços de cigarro, os saleiros também deveriam vir com uma advertência de perigo quanto ao uso. O sal contido nos alimentos já é mais do que suficiente. Não é necessário acrescentar mais sal na comida. Excesso de sal provoca, entre outras doenças, pressão alta, derrame, infarto, câncer e doenças respiratórias. As informações nutricionais estão nas embalagens dos alimentos, geralmente com uma letra muito pequena, mas insista. Veja abaixo um modelo usual ampliado:












% VD (valor diário) = quantidade diária de cada nutriente (carboidrato, proteína, sódio, etc.), que deve ser ingerida para se ter uma alimentação saudável. O valor diário máximo para o Sódio = 2,4 gramas que é igual a 2.400 mg (miligramas).

Enfim dê um sumiço no saleiro. Não deixe as crianças usarem, nem dê o exemplo. Evite conservas (azeitonas, picles, patê, palmito, etc.), enlatados, alimentos em pó (sopas, temperos), caldos em cubos, embutidos (salsicha, mortadela, lingüiça, salame, presunto), carnes salgadas. Leia as informações nutricionais, como no exemplo acima, e decida se você quer aquela quantidade de sal na sua vida.

Ah! Não se esqueça de verificar se tem glutamato monossódico, porque isto é sódio também. Cuidado com os “salgadinhos” aperitivos, biscoitos, amendoins, batatas fritas e com os sanduíches prontos. Prefira alimentos frescos. Aprenda a usar e abusar dos temperos naturais como o alho, cebola, manjericão, alecrim, orégano, salsinha, tomilho, cebolinha, hortelã, curry e outros.

Enfim, aprenda a conviver com sal, como um bom e querido amigo, mas não esqueça tome cuidado com os sedutores grãozinhos brancos que saem do saleiro! Proteja sua qualidade de vida, isso é amor por você pelos seus entes queridos. 

O governo brasileiro, através do Ministério da Saúde, está fazendo sua parte, oferecendo os medicamentos gratuitamente, veja no link:



*Escrito e adaptado por Fernando Vieira Filho é psicoterapeuta, é especialista em Terapia com Florais de Bach e autor do livro - Cure suas Mágoas e Seja Feliz! - Barany Editora - São Paulo 2012
** Fonte Marpan e Wikipédia

Nenhum comentário:

Postar um comentário