QUANDO A INSTABILIDADE EMOCIONAL FAZ SOFRER: O BORDERLINE








Por Fernando Vieira Filho(1)

Os transtornos de personalidade afetam todas as áreas de influência da personalidade de um indivíduo, o modo como ele vê o mundo, a maneira como expressa as emoções, o comportamento social. Caracteriza um estilo pessoal de vida mal adaptado, inflexível e prejudicial a si próprio e também aos que o cercam. Os transtornos de personalidade são relacionados por semelhança ou classificação e são conhecidos como:

• A borderline ( vamos conhecer a seguir).
• A anti-social (comportamento social irresponsável, insensível, ausência de remorsos).
• A paranóide (desconfia de tudo e todos).
• A esquizóide (dificuldade em se relacionar e expressar suas emoções).
• A ansiosa (inibido e ansioso, com baixa autoestima).
• A histriônica (dramaticidade, carente afetivo, dentro outros).
• A obsessiva (mania de perfeição, rigoroso consigo e exigente com os outros).

A instabilidade das emoções é o traço marcante deste transtorno, que se apresenta por flutuações rápidas e variações no estado de humor de um momento para outro sem justificativa plausível. As pessoas com este transtorno reconhecem sua instabilidade emocional, mas para tentar camuflá-la, tentam justificar-se com argumentos descabidos. Seu comportamento impulsivo freqüentemente é autodestrutivo. Os borderline não conseguem ter de forma clara uma identidade própria, com um projeto ou uma finalidade de vida e uma escala de valores duradoura, até mesmo quanto à própria sexualidade. A instabilidade é tão intensa que acaba incomodando a própria pessoa que em dados momentos se auto-rejeita, por isso a insatisfação pessoal é uma constante em sua atormentada existência. Estatísticas mostram, que 75% dos borderlines, são mulheres.

Aspectos importantes sobre este transtorno:

• Padrão de relacionamento instável variando rapidamente entre amar e odiar, ter uma grande amizade por determinada pessoa, para logo a seguir desprezá-la.
• Comportamentos impulsivos, principalmente quanto a gastar dinheiro, no campo sexual, abusam de substâncias psicoativas, pequenos furtos, costumam dirigir de forma irresponsável.
• Rápida variação das emoções, passando de um estado de irritação para angustiado e depois para depressão (esta ordem não é obrigatória).
• Sentimento de raiva é freqüente e a falta de controle desses sentimentos pode levá-la a lutas corporais de conseqüências inesperadas.
• Comportamento autodestrutivo ou auto-mutilante, podendo chegar ao suicídio (neste caso, podem ter sofrido algum tipo de abuso sexual na infância).
• Sentimentos persistentes de vazio e tédio.
• Dúvidas a respeito de si mesmo, de sua identidade como pessoa, de seu comportamento sexual e de sua carreira profissional.

Este transtorno de personalidade é um verdadeiro tormento na vida de quem o possui, nestes casos, a psicoterapia bem aplicada, com uma medicação bem prescrita, associadas ao uso de remédios Florais de Bach, traz ao borderline, um grande conforto mental e físico. Eu pessoalmente, ainda sugiro a pessoa com este transtorno, que trabalhe a sua religiosidade, seja ela de qualquer denominação, e se engaje em algum trabalho voluntário de sua comunidade. Para ela trabalhar a compaixão pelo próximo.

Até hoje, estudiosos neste assunto, tem dificuldade em definir novas causas para este transtorno de personalidade. Provavelmente a personalidade borderline é multicausal, e vários outros tipos de estudo ainda necessitaram ser feitos.

(1)
Fernando Vieira Filho é psicoterapeuta, é especialista em Terapia com Florais de Bach e autor do livro - Cure suas Mágoas e Seja Feliz! - Barany Editora - São Paulo 2012
(55 11) 99684-0463 (São Paulo e Brasil)
(55 34)  3077-2721  (Uberaba)

Fontes consultadas:

  1. Torgersen, Svenn -The Prevalence of Personality Disorders in a Community Sample.
  2. Dalgalarrondo, Paulo, “Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentais – 2ª edição – Artmed.

9 comentários:

  1. quais florais sao indicados para quem tem boderline?

    ResponderExcluir
  2. Olá Fernando meu nome é Matheus tenho 17 anos sou leitor do seu blog
    , eu recentemente descobri que minha mãe tem tiróide , eu realmente não sabia o que era e o que causava , uma das causas era o
    Hipertiroidismo: A produção excessiva da hormona tiroideia (tirotoxicose) causa nervosismo, palpitações, taquicardia, fraqueza muscular, fadiga, perda de peso com manutenção do apetite, transpiração excessiva, intolerância ao calor e labilidade emocional. Os folículos hiperactivos crescem devido ao aumento da altura do epitélio folicular e ao aumento dos depósitos de tiroglobulina.
    Uns dos sintomas era a labilidade emocional , que por conhecidencia vi no seu blog e li sobre , que faz sofrer a boderline, os sintomas da boderline encaixam perfeitamente nos aspectos da minha mãe no dia a dia dela, na ignorância dela
    No sentimento de raiva , tédio e me parece que carência também , desgosto da vida só coisa ruim , eu gostaria muito de saber se tem algum tipo de tratamento para essa instabilidade de emoção dela, uma hora esta feliz quando vê o neto dela, outra hora ela esta muito nervosa ao ponto de tacar o que estiver na frente dela em mim , me xingar falar coisas sem pensar , é um horror isso ja faz 1 ou 2 meses , a ultima vez ela quebrou a tela do meu iPad com um tamanco que ela jogou em mim,
    Esses comportamentos impulsivos dela me preocupa e muito e como sou o filho dela eu não posso alterar a voz e muito menos abandona-la por isso peço sua ajuda para podermos tentar ajudar ela , me ajudar também
    Obrigado atenciosamente
    Matheus Teobaldo

    ResponderExcluir
  3. Caro Matheus, parabéns pela sua iniciativa!
    Existem medicamentos muito bons e seguros para tratar, para estabilizar esta impulsividade e instabilidade geral de sua mãe. Agora ela tem que ser encaminhada para um médico psiquiatra, de forma urgente. Lembrando que o psiquiatra é um medico de qualidade de vida. Ok.
    Agora procure um adulto responsável (tios, avós, seu pai etc) para tomar estas providencias junto a sua mãe. Você já está fazendo muito de sua parte e responsabilidade, procurando ajuda.
    Eu não sei qual é sua religião, mas seja qual for, quando ela entrar em crise, saia de perto, vá para o banheiro por exemplo, leve o Evangelho ou o Novo Testamento, abra-o em qualquer página e faça uma leitura em voz normal e peça para Deus, Jesus ou seu Anjo de Guarda, para abençoar sua casa e sua mamãe neste momento.
    E espere sua mãe acalmar e aí sim saia do banheiro. E evite discutir ou bater boca com sua mãe. Quando quiser falar algo importante com ela, escreva um bilhete e entregue para ela e peça para ela responder SOMENTE por escrito.
    Isto é uma técnica muito boa que ensino no meu livro CURE SUAS MÁGOAS E SEJA FELIZ! que aliás seria bom você ler.
    Não tome atitude nenhuma, sem o apoio de adulto responsáveis.
    Você tem tios, avös? Caso positivo entre em contato com eles. Diga que fui eu que sugeri.
    Um forte abraço e muita Paz.
    Fernando Vieira Filho
    Psicoterapeuta/Autor do livro - Cure suas Mágoas e Seja Feliz! - Barany Editora - São Paulo 2012
    (55 11) 99684-0463 (São Paulo e Brasil)
    (55 34) 3077-2721 (Uberaba)
    www.harmoniacomflorais.com

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Fernando!
    Me chamo Daniela, tenho 34 anos, e me identifiquei muito com este artigo. Acho que estou exatamente como descreve a Boderline!
    Nos últimos dias tenho me sentido com a auto estima lá embaixo, sem motivação para correr atrás dos meus objetivos, nada do que eu quero dá certo, desiludida, com vontade dormir e não acordar mais!
    Me sinto cansada física e mentalmente, sem vontade de nada, como se realmente tivesse carregando o mundo nas costas!
    Tenho e quero muito voltar a ganhar gosto e alegria de viver, mas não sei como fazer! Gostaria de uma sugestão por onde começar!
    Acha que devo procurar tratamento?
    Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Daniela, Certamente que sim. Procure um bom psiquiatra. Ele vai ajudá-la. Existe tratamento. Quando assista a este vídeo ele vai ajudá-la a entender o que está acontecendo com você. http://youtu.be/qIzeAig8DXk
      Abraços e muita paz.. Fernando.

      Excluir
  5. Olá Fernando, eu me identifiquei muito com o seu post, tenho 20 anos e diagnosticada com depressão desde os 16 anos, tomo antidepressivos desde então e nunca vejo melhora, na verdade vario bastante entre estar MUITO bem e MUITO mal... Ultimamente notei que estou completamente diferente, minha auto-estima está lá embaixo, não consigo mais me ver de verdade no espelho sabe?? é como se minha perspectiva nova de visão não me deixasse ver quem está ali no espelho, meu relacionamento com meu namorado é bastante conturbado pq hoje o amo e amanhã o odeio, ando até tendo duvidas quando a minha opção sexual, sinto um ódio enorme e acabo perdendo o controle e partindo p cima das pessoas, acabo até machucando pessoas que amo sem querer, o Mundo colorido derrepente fica cinza e sem graça, não tenho mais nenhum amigo pq me afastei de todos ou talvez eles tenham se afastado de mim, não tenho ânimo p ir a faculdade, o meu corpo pesa muito e o caminho até chega lá me parece enormeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee, até o meu professor favorito comecei a vê-lo de outra forma,como se ele estive feio e não fosse mais tão inteligente quando era antes, machuco as pessoas que amo com gritos... Hoje minha mãe me pediu p procurar ajuda pq não sou mais a mesma pessoa e eu concordo plenamente, estou sofrendo muito Dr. e ao mesmo tempo que sei oq fazer parece que nada vai adiantar e eu nunca vou ter uma vida normal, pfvr me ajude, o que eu tenho afinal?

    ResponderExcluir
  6. Olá Fernando!
    Me chamo Letícia, tenho 13 anos, e me identifiquei muito com este artigo. Acho que estou com INSTABILIDADE EMOCIONAL.
    Tenho me sentido muito deprimida, sem motivação para fazer as coisas que gosto e de ir atrás dos meus sonhos,tenho vontade dormir e não acordar mais!
    Me sinto cansada mentalmente, sem vontade de nada,tenho muitos problemas de família
    Gostaria de uma sugestão
    Acha que devo procurar tratamento?
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  7. Oi Fernando.
    Gostei muito do seu artigo e queria que me orientasse.
    Há oito meses estou passando por um momento crítico da minha vida. Fui traída pelo namorado e desde então me sinto sem estímulo pra viver, mudei completamente, não tenho coragem de fazer nada, só dormir, me alimento mal e perdi peso, além de me sentir inferior, insuficiente, etc. Decidi dá uma nova chance recentemente, às vezes me sinto bem e feliz, mas acontece de repente eu me sentir para baixo, não conseguir confiar, sempre acho que estou sendo traída, não consigo esquecer nada e só lembro de tudo que aconteceu, minha mente imagina coisas que podem ter acontecido. Já cheguei a me arrepender da decisão de voltar, há dias que não quero falar com ele. E chego a me arrepender porque eu posso está criando coisas que não existem.
    É normal de alguém que foi magoado por uma traição ou não?
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  8. Olá Fernando! Meu nome é Alice e eu queria saber formas de tratamento para instabilidade emocional!! Desde já, grata

    ResponderExcluir