TRABALHANDO O PERDÃO


(Por Fernando Vieira Filho*)

Muitos amigos e pacientes que estão fazendo a Terapia do Perdão (1), me ligam dizendo que têm notado que a pessoa (o ofensor) para quem estão “exercitando” o perdão, durante o período da terapia (21 dias), fica incomodada, irritada, passa a tratá-los mal, tentam “alfinetá-los” etc.

Digo a eles que é uma reação normal do ofensor. E isto ocorre porque a linguagem “subliminar” ou não verbal, que flui entre o magoado e o ofensor, faz com que, de forma absolutamente inconsciente, o ofensor ou abusador sinta que o poder e importância que ele exerce sobre a pessoa que magoou começa a “escoar pelas suas mãos”. E pensa consigo mesmo: “Fulano(a) está deixando de ser bobo(a), está me pondo de lado...” 

Isto ocorre porque quando somos magoados ou ofendidos por alguém que amamos muito  damos ao ofensor um poder, uma importância desproporcional em nossa vida.  E o processo do perdão é exatamente tomarmos a atitude de “jogar” o nosso ofensor não no esquecimento (porque não tem como), mas na “desimportância” de nossa vida.

Portanto, no processo do perdão, há que se ter muita paciência, disciplina e sangue-frio,  pois é uma via em que os dois egos, tanto o do ofendido quanto o do ofensor, “trafegam” em mão-dupla.


(1)     Ver página 51 do livro CURE SUAS MÁGOAS E SEJA FELIZ! – Barany Editora -  2012.

  *Fernando Vieira Filho / Psicoterapeuta / Palestrante 
e autor do livro - Cure suas Mágoas e Seja Feliz!                                                                       (55 34)  3077-2721  (Uberaba)

 Conheça meus blogs e sites:




Nenhum comentário:

Postar um comentário