DEPRESSÃO E O ADOLESCENTE - Em 9 perguntas e respostas

 Por Fernando Vieira Filho (1)

1 - Por que os jovens tão cedo estão sendo acometidos pela depressão?
Fernando - O que leva a depressão a surgir cada vez mais cedo, tanto em crianças quanto em jovens, de forma geral é, a meu ver, uma inquietação pela busca do TER antes do SER, o consumismo desenfreado alimentado pela mídia televisiva, escrita e a internet, a perda da autoestima e a falta de um propósito de vida. Assim, o contingente de jovens em estado depressivo, vagando de consultório em consultório, sem esperanças de cura, com tristes prognósticos de internação em um hospital psiquiátrico formam uma grande leva de pessoas que iniciam sua vida profissional tristes, cansadas e desanimadas para quem a vida parece não ter lógica alguma e a morte parece ser uma tábua de salvação.
2 - Depressão é hereditária?
Fernando - O fator genético deve ser considerado. Acredita-se que haja uma base genética, já que pessoas com história familiar de depressão apresentam maiores chances de “fazer” a doença em algum período de sua vida.
3 - Qual os sintomas recorrentes de quem pode estar com depressão?
Fernando – A depressão é uma doença multissintomática e os sintomas mais comuns são:
• Sentimentos de inutilidade, baixa autoestima, desamparo ou falta de esperança.
• Humor depressivo ou irritabilidade, ansiedade, medos.
• Dormir mais ou menos que o normal.
• Comer mais ou menos que o normal, se alimenta mal.
• Dificuldade em se concentrar ou em tomar decisões, falta de assertividade (a pessoa que não sabe dizer NÃO quando é não).
• Perda de interesse em participar de atividades habituais e cotidianas.
• Redução da libido (desejo sexual).
• Recusa em estar com outras pessoas.
• Sentimentos exagerados de culpa, tristeza ou ódio (aparente ou não).
• Perda de energia ou sentimento de cansaço.
• Pensamentos de morte e suicídio.
4 - As drogas ou bebidas usadas com assiduidade podem contribuir ainda mais com o quadro?
Fernando - Sim, agravam e muito. Pois geralmente o jovem busca as drogas ilícitas e a bebida alcoólica justamente por apresentar o quadro depressivo. Ao invés de pedir ajuda aos pais ou profissionais de saúde, buscam o “remédio” para suas dores morais e frustrações em barzinhos e festinhas, na maioria das vezes, por sugestão, dos famosos “amigos”, que na verdade são “amigos da onça”.
5 - Como os pais podem percebem ou detectar que seu filho tem ou caminha para uma depressão?
Fernando - Primeiro observando os sintomas ou sinais que enumerei na resposta 3. Em seguida, procurar escutar o filho, encorajá-lo a falar sobre seus sentimentos e dores, oferecer apoio; não tentar resolver os problemas dele, apenas escutar e com simpatia e compreensão sugerir que procure ajuda de profissional de saúde mental competente.
Além disso, estes são outros cuidados importantíssimos para os pais:
• Não criticar, pois as pessoas deprimidas são muito sensíveis e isso pode fazê-las desmoronar.
• Não tomar a depressão do outro como sua culpa.
• Não pressionar a pessoa, incitando-a a reagir, porque a depressão é uma doença fisiológica e, como tal, necessita de medicamentos para seu tratamento e cura.
• Não assumir as responsabilidades dela.
• Não perder a paciência, a pessoa deprimida pode estar irritável.
6 - Quais os tratamentos necessários para a cura da depressão?
Fernando - Ao contrário do que algumas pessoas pensam, a depressão tem cura. É importante que ao perceber os sintomas, a pessoa procure atendimento médico psiquiátrico e psicoterápico, pois o quanto antes for iniciado o tratamento mais rápido o doente voltará à sua vida normal. O tratamento medicamentoso pode ser realizado com o uso de antidepressivos alopáticos que são muito eficazes. Estes constituem um grupo de medicamentos químicos que têm o objetivo de restabelecer o equilíbrio na comunicação dos neurônios. Atualmente temos vários tipos de antidepressivos, cada um com sua indicação específica de acordo com a recomendação do médico psiquiatra.
Os medicamentos antidepressivos, de modo geral, não causam sonolência, nem dependência, e não precisam ser tomados para o resto da vida, salvo alguns casos em que a depressão se torne crônica, pois o importante é a qualidade de vida. É bom ressaltar que o início dos efeitos benéficos dos medicamentos não é imediato, necessitando de um período de aproximadamente 3 a 4 semanas para começar a mostrar resultados. Da mesma forma, deve-se ter em mente que o tratamento da depressão é de médio e longo prazo, levando em média de 4 a 8 meses, podendo estender-se até um ano ou mais. Isso tudo vai depender da gravidade da doença e da resposta do paciente ao tratamento.
A psicoterapia é mais um instrumento terapêutico de grande importância, pois ajuda a pessoa a se conscientizar da doença e que precisa de ajuda e de se autoajudar, identificando em si mesma pontos importantes que possam ter contribuído para o desenvolvimento da depressão, ao mesmo tempo em que possibilita a elaboração de estratégias para driblar esses fatores. Associada à alopatia (prescrita pelo médico psiquiatra), a homeopatia e aos Florais de Bach, dão ao tratamento uma interação sinérgica, de excelentes resultados. O exercício da religiosidade, seja qual for a denominação religiosa, é muito importante também, assim como o apoio e a participação de familiares e amigos durante o tratamento.
7 - Quem já teve depressão tem a possibilidade de ter novamente?
Fernando - A reincidência é muito comum na depressão. Muitas pessoas têm uma melhora aparente e, de vontade própria, param com a medicação de supetão e não avisam ao médico. Aí pode ocorrer o chamado “efeito rebote”, quando os sintomas retornam com maior força. E a pessoa se esquece ou não foi orientada de que o medicamento apenas estabiliza os sintomas, é como se fosse uma muleta temporária, para que a pessoa tenha tempo para fazer sua reforma intima de atitudes, comportamentos inadequados, emoções desarmônicas, mágoas etc. que acumulou em sua vida. É nesta parte que a psicoterapia entra, na conscientização do problema que levou à doença.
8 - O que pode contribuir em nossa sociedade, para a elevação da depressão entre os jovens?
Fernando - Como disse na primeira resposta, quando a sociedade alimenta o consumismo desenfreado e irresponsável através de suas mídias mais importantes.
9 - Pessoas deprimidas podem se conhecer entre si ou se reconhecer entre si?
Fernando - Sim, mas devem evitar ficar comentando sobre a doença e suas mazelas. Devem conversar sobre soluções para sua doença e, buscar apoio com profissionais adequados, sem preconceitos e com humildade.
Assista ao vídeo - DEPRESSÃO: COMO É A CONSULTA? http://youtu.be/kTzs3y1opsc
(1) Fernando Vieira Filho -Psicoterapeuta/clínico, palestrante e escritor. Autor do livro CURE SUAS MÁGOAS E SEJA FELIZ! - 2ª ed. - Barany Editora - 2012. E coautor do livro DIETA DOS SÍMBOLOS - 6ª ed. - Melhoramentos - 2004.
E-mail de contato: ffvfilho@terra.com.br
Conheça seus blogs e sites:
www.harmoniacomflorais.com
http://harmonize-se-com-florais-de-bach.blogspot.com.br/

Eu tinha um cachorro preto, seu nome era depressão. [BLACK DOG]

Vídeo criado e publicado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para a reflexão sobre a depressão.
Atualmente, a depressão afeta mais de 350 milhões de pessoas no mundo inteiro.
Projeções da OMS estimam que no ano de 2030, entre todas as doenças, a depressão será a mais comum. Existem tratamentos efetivos, mas menos da metade dos afetados pela doença recebem qualquer tipo de tratamento.
Se você ou alguém próximo a você sofre de depressão, procure ajuda profissional. Esse pode ser o primeiro grande passo em direção a uma grande mudança.

OS DEZ LADRÕES DA SUA ENERGIA | DALAI LAMA

OS DEZ LADRÕES DA SUA ENERGIA

Por Dalai Lama

1. Afaste-se daquelas pessoas que só chegam para compartilhar queixas, problemas, histórias 
desastrosas, medo e julgamento dos outros. Se alguém procura uma lata
para jogar o lixo que tem dentro, que não seja na sua mente.

2. Pague as suas contas a tempo. Ao mesmo tempo, cobre aqueles que te devem
ou escolha deixar para lá, se você já percebeu que é impossível receber.

3. Cumpra as suas promessas. Se você não cumpriu alguma, pergunte-se o porquê desta
resistência. Sempre você tem o direito de mudar de opinião, de se
desculpar, de compensar, de renegociar e de oferecer outra alternativa
diante de uma promessa não cumprida, mesmo que já um costume.
A forma mais fácil de evitar o não cumprimento de algo que você não quer fazer é dizer "NÃO" desde o começo.

4. Elimine, dentro do possível, e delegue aquelas tarefas que você
prefere não fazer, dedicando o seu tempo àquilo que, sim, você desfruta fazer.

5. Dê permissão a você mesmo para um descanso, quando você
estiver em um momento que o necessite e dê permissão a você mesmo para
agir quando estiver em um momento de oportunidade.

6. Jogue fora, recolha e organize... nada te tira mais energia que um espaço
desordenado e cheio de coisas do passado que você já não necessita.

7. Dê prioridade à sua saúde, sem a máquina do corpo trabalhando ao
máximo, você não pode fazer muito. Tome tempo para perceber o que seu
corpo está te dizendo.

8. Enfrente as situações tóxicas que você está tolerando, desde resgatar um amigo ou um familiar, até tolerar
ações negativas de um companheiro ou um grupo. Tome a ação necessária.

9. Aceite. Não é resignação, mas nada te faz perder mais energia que o
resistir e brigar contra uma situação que você não pode mudar.

10. Perdoe... deixe ir uma situação que está te causando dor... você sempre pode escolher deixar ir a dor da recordação.

Assista ao vídeo -VAMPIRISMO ENERGÉTICO: DICAS IMPORTANTES PARA SUA PROTEÇÃO |http://youtu.be/M_dcYyQ4dOc?list=PLHU5z3TSr3i4LLCBSJ5PQ1VJ4vSsDHsCV

FREUD E O ÓDIO

Quando odiamos - o que é perfeitamente humano - nos sentimos culpados; a culpa nos faz sentir remorso e o remorso nos traz uma necessidade inconsciente de autopunição, que nos leva a “fazer” as doenças que denominamos “psicossomáticas”. Assim o perdão e o autoperdão são de suma importância na vida do ser humano, pois são capazes de nos preservar de males físicos, mentais e morais. — com Fernando Vieira Filho.

O SENTIMENTO DE CULPA – PERIGOSO E ÚTIL

Por Fernando Vieira Filho (1)

No começo da Idade Média, as “algemas” da culpa foram metodicamente “plantadas” na mente dos cristãos medievais. Com isso, a religião formal da época construiu um “amplo cárcere” que aprisionou consciências por séculos. Dessa forma a culpa se tornou parte integrante em nossa vida, tornou-se um tormento existencial, cujos reflexos ainda ecoam fortes em nosso inconsciente “coletivo” e pessoal, até os dias atuais. Seus reflexos foram e são “somatizados” na forma da loucura, depressões e outros transtornos mentais, assim como cânceres variados, doenças autoimunes etc. E não sabemos até quando...

Existem sentimentos de culpa sem motivo, por exemplo - a culpa de quem perdeu amigos, parentes e sobreviveu ileso aos campos de concentração nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, ou por um acidente que causou a morte de parentes e amigos e, em geral, tem dificuldade para aceitar o fato de estar vivo após o evento trágico. Seria uma espécie de culpa inocente, mas com variantes incontáveis e perigosas, pela possibilidade de autopunições, que os levam a "fazer" doenças e insucessos diversos.

Existem pessoas que se sentem mal por serem mais bonitas, ricas e saudáveis que outras. Há pessoas que tem sentimentos de culpa, chamada "altruística", relacionados a um senso de dever muito amplo - aqueles que nos levam a fazer de tudo, até terminar o trabalho que cabe aos colegas, para evitar prejuízos para maioria.

Embora a culpa seja um sentimento pesado, doído e muitas vezes inútil, ela tem um papel fundamental na vida de relações do ser humano: ela pode ser útil e construtiva, quando gera uma "luta" interior que faz surgir em nós atitudes que beneficiem outras pessoas tais como: ter limites, ser mais gentil, economizar dinheiro, água, comida, gestos de gratidão, generosidade etc. Pensemos nas doações feitas por Andrew Carnegie, Henry Ford, Bill Gates e outros milionários, mas também numa criança que divide o lanche com o coleguinha.

Portanto, temos que trabalhar de uma forma consciente e também metódica o autoperdão. Devemos sempre caminhar na "linha" do bom-senso. Quando você se sentir culpado, seja por qual motivo for, pergunte-se: “Hoje, eu faria o que me causou a culpa, novamente?” Se não, parabéns! Siga em frente! Coloque num envelope sua culpa e, guarde-o nas "gavetas" do passado.

(1)Fernando Vieira Filho -Psicoterapeuta/clínico, palestrante e escritor. Autor do livro CURE SUAS MÁGOAS E SEJA FELIZ! 2ª edição - Barany Editora - 2012. E coautor do livro DIETA DOS SÍMBOLOS - 6ª edição- Melhoramentos - 2004.

AUTOESTIMA É TUDO

Se você ainda não conseguiu trabalho, se você está em uma empresa tendo problemas e não sendo valorizada, se tem medo de pedir um aumento, sempre vendo seus colegas serem promovidos e você ficando para trás, se você está com medo de ser despedida pois a companhia na qual você trabalha está fazendo cortes, ou até mesmo se você está com receio que a sua baixa autoestima interfira na criação dos seus filhos... Esse vídeo é pra você: 

PROJETO VOCÊ MELHOR - EM 30 DIAS

UM CAMINHO CERTO, RÁPIDO E SEGURO PARA VOCÊ RESGATAR DE VEZ SUA AUTOESTIMA EM 30 DIAS!

http://bit.ly/vcmelhor30dias ←— Clique Aqui e assista ao Vídeo agora! 

Chega um momento em que sentimos a necessidade de dar basta em determinadas situações, sair da inércia e tomar uma atitude para mudar o rumo da nossa vida de uma vez por todas, a famosa ”hora da virada”.
Eu, Eliana Barbosa, quero te pegar pela mão e te ajudar a ultrapassar essas barreiras que estão atrasando a sua vida.
Você terá 30 dias nesse percurso de autodescoberta de seus potenciais, do seu poder interior.
Em parceria com o Casal Austrália – Juliana da Mata e Felipe Miranda –  fizemos algo especial para te guiar nesses 30 dias para que você se torne capaz de dar uma guinada na sua vida e em seus relacionamentos, de uma vez por todas!

Essa é a sua chance de chutar o balde e mostrar para o mundo quem você realmente é!
Ao invés de focar nos presentes de Natal em que você está acostumada a gastar todo o seu dinheiro e dar para os outros, chegou a hora de voltar seu olhar e amor para si mesma, para essa mulher tão rica de potenciais e tão abandonada de si mesma!
Você merece! Você é a pessoa mais importante da sua vida, trate-se como tal.

ANTIDEPRESSIVO NÃO VICIA | MITOS E VERDADES

Muitas pessoas me perguntam sobre a ação dos antidepressivos em nosso corpo. O medicamento causa dependência? Faz mal? Etc.
Vou explicar de forma simples e objetiva: O antidepressivo não causa dependência como se pensa.
Saiba mais.

Desaparecido | Você já viu este jovem

Aos amigos mineiros.
Desaparecido:
O nome deste jovem é Jean Douglas. Ele é portador de doença mental, a esquizofrenia.
Ele desapareceu na cidade de Três Pontas-MG há dois anos. Ele tinha 22 anos, 
hoje tem 24 anos. Provavelmente ele se tornou mendigo ou andarilho e, deve estar barbudo.
Quem souber de alguma informação dele, entre em contato: